terça-feira, 28 de julho de 2009

Marvel Zumbis 3, de Fred Van Lente



Zumbis Marvel 3 esta situada temporalmente antes de Zumbis Marvel 2, ou pelo menos foi isso que eu percebi. A historia mostra um tentativa de invasão, onde os zombies do universo criado em Marvel Zumbis 1 tentam entrar no que seria o universo Marvel principal.

Todos os Super que foram o foco da historia em Marvel Zombies 1 e 2 estão vagando pelo universo com os poderes obtidos com Galactus, então pra contar essa historia só sobram alguns heróis serie B e um emaranhado de vilões.

No que ao meu entender seria o universo Marvel convencional, a historia se passa focada na A.R.M.O.R. (Alternate reality Monitoring and Operational Response Agency, “Agência de Monitoramento de realidades Alternativas e operações de Emergência”) e em seus pouco populares heróis.

O bom de crossover como esse é que eles trazem a tona personagens que você nunca ouviu falar e ainda o colocam em posições de destaque na trama. Tirando isso, não sobra muita coisa nesta continuação da consagrada historia de Zumbis. Por exemplo, antes Marvel Zombies eu nunca tinha lido uma historia decente do grande T'Challa, o Pantera Negra.

Mas se a sequência dessa historia for como é anunciada no final desta, não tenho certeza se ela merece ser lida.

Esta historia foi scrita por Fred Van Lente, e desenhada por Kev Walker.

Zumbis Marvel #1
Zumbis Marvel #2
Zumbis Marvel #3
Zumbis Marvel #4

segunda-feira, 20 de julho de 2009

TOME 2009 - resenha do 2ª dia


Os shows do segundo dia começaram um pouco antes da meia-noite, eu me atrasei um pouco por isso perdi a primeira boa noticia da noite: um dos integrantes da banda A Baba de Mumm-Rá estava doente (talvez tenha pegado gripe do Porkão) e a banda seria substituída pela Mata-Burro, que já estava tocando no momento.

Bento entoou seu hardcore profano e começou o que mais tarde se tornaria um mosh-pit. Mata-Burro fez sua burrada, deu seus gritos e depois liberou o palco para as atrações internacionais da noite.

Strike Máster, do México, e Omen dos Estados Unidos vieram parar aqui nesse estado por estarem realizando uma turnê juntos pela América do Sul. "In Metallic Blood We Trust - South American Gig 2009" eles já passaram por outros tantos estados, e ainda passaram por mais.

Omen sabia como agitar o público, não era necessário conhecer suas letras, bastava saber identificar o bom rock que estava sendo tocado. Até tentamos ensaiar um bate-cabeça.

Era visível que havia bem menos gente do que no dia anterior, é sempre assim no dia dedicado ao metal do cão. Não vi muitas caras conhecidas também não, Daiene Santana do Vivo Verde e Di vocal da banda Engenho Novo.

Omen cantou sua última música e após uma transição rápida, às 1:30, Strike Máster subiu ao palco, e com seu Trash Metal mostrou que era possível cantar esse tipo de música em espanhol.

O bate-cabeça estava agitado, e ocupou o espaço vazio que havia no Tendêncies, no entanto o Porkão devia dar uma olhada nas instalações elétricas do recinto, não foram poucas as vezes em que a energia ficou monofásica, chegando a interromper o show do Strike Máster. Estes incidentes aconteceram nos dois dias e com certeza deve ter deixado uma má impressão nas três bandas que vieram de fora.

Às 2h15 o show já havia acabado, os garotos do Strike Máster não souberam deixar muito claro se tinham acabado pra valer, então o pessoal demorou um bom tempo pra esvaziar o local, como ainda era cedo acabei indo no Vila de Palma ver o Móveis tocar. Fiquei do lado de fora, é claro. Parecia haver pouca gente lá dentro, o pessoal que conhecia a banda já tinha ido vê-los na noite anterior.

Antes que eu me esqueça, a segunda boa noticia da noite é que a Daiene pagou a cerveja que estava me devendo.

sábado, 18 de julho de 2009

TOME 2009 - resenha do 1ª dia


Tive o privilegio de assistir a três bandas que tocaram ontem à noite, e devo dizer que duas delas me surpreenderam.

Eu já tinha assistido ao show do Móveis no PMW do ano passado (se não me engano) já tinha provado um pouco dessa energia que eles distribuem do palco, e não esperava menos desse seu retorno a Palmas. No entanto quem me surpreendeu foram as duas bandas locais.

Devo dizer que eu já me dirigi ao show com um certo preconceito com relação à primeira banda que ia tocar, e se não fosse pelo absurdo atraso com que abriram o evento eu nem teria visto eles tocarem. Afinal eles são de Palmas, estudam na UFT, e maquiam o rosto. Mas conseguiram mostrar uma música irreverente, animada e de significado – quase sempre – incompreensível, e como a Xuxa não morreu, eles levaram ao palco um sósia de Michael Jackson (pensei que o André Porcão iria espancá-los por isso, mas nada aconteceu, ao menos não presenciei tal cena.)

Como mencionei, houve um certo atraso. O Tendêncies foi abrir aproximadamente a meia-noite, e logo depois o Engenho Novo fez uma apresentação de aproximadamente uma hora, e como sempre há um intervalo de pelo menos 20 minutos para que a próxima banda ajuste seus instrumentos La Cecília entoou seu Reggae só depois das duas da manhã.

Esse foi o outro grupo que me surpreendeu, já conheço a banda faz uns quatro anos, mas nunca devo ter prestado atenção enquanto eles tocavam, (acho que eu sempre estava chegando, ou saindo, dos shows quando eles tocavam) eles tocaram seu Reggae e até arriscaram uma dose de Ska para aquecer o público antes da chegada do Móveis. Mas eles sabiam não ser a grande atração da noite, e por isso, não enrolaram muito no palco.

Nesta noite do dia 17 havia no Tendêncies, muita gente que costuma ir no Tendêncies, ou em shows do tipo. Só queria citar algumas pessoas que vi no evento: A Daiene Santana do blog Vivo Verde; Stanley Rodrigues, que assim como eu mantém o Espelunka; os facilmente identificáveis do Boddah Diciro; também Bento acompanhado de sua câmera, e de alguns integrantes da banda Mata-Burro e também a Cecília Plagio, do jornal do Estado. Claro que também havia patricinhas, metaleiros e uma garotinha com a camisa do Motorhead.

Móveis Coloniais de Acaju subiu ao palco lá pelas três da manhã, mas o horário pouco importava, porque eles trazem sua energia de casa, e distribuem-na durante o show. Eles tocaram aproximadamente 11 músicas, a maioria de seu último álbum, C_MPL_TE, mas trouxeram também alguns dos carros-chefe do primeiro de Idem, como: Perca Peso, Aluga-se Vende-se e Copacabana.

Acho que a parte mais divertida do show é quando eles tocam Copacabana, por isso essa música nunca pode deixar o repertório. Mas houve um certo equivoco neste momento do show, André, o vocalista, perguntou se este era o mesmo lugar onde tinham tocado da última vez, (e algum infeliz respondeu que era) logo ele achou que haveria espaço para o espetáculo, pois é nessa hora que eles descem do palco, e começam a organizar uma grande roda (nem tão grande devido a limitações de espaço) e ao comando de André Gonzáles começam a correr formando um imenso carrossel.

O que faltou nesse primeiro dia foi apenas espaço, o Tendêncies é um lugar pequeno, não havia espaço para que os Móveis Coloniais de Acaju pudessem fazer o show que estão acostumados, com muita interação e muito tu-birun-ta-ta-thun-birun.

Eles ainda tocam hoje a noite no Vila de Palma, mas enquanto isso eu irei prestigiar a segunda e a terceira atração internacional que vem a Palmas. Omen e Strike Master no segundo dia de TOME.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

TOME 2009, Palmas - TO, dias 17 e 18 de jukho

III Tocantins Música Expressa

Dia 17 é o dia do nem tanto calmo Ska Rock Jazz do Móveis Coloniais de Acaju, do Reggae palmense da La Cecília, e do MPB metido a circense do Engenho Novo.

Mas caso seu interresse seja pelo mosh-pit. Sábado, dia 18, lhe reserva o Heavy Metal estadunidense de Omen, o Hermano-Trash Metal do Strike Máster e o auto-denominado Profano Bode Core d’A Baba de Mumm-Ra, que promete arremessar litros de cerveja do palco.


17/07 - sexta

Móveis Coloniais de Acaju (DF)
La Cecilia (TO)
Engenho Novo (TO)


18/07 - sábado

Omen
(EUA)
Strike Master (MEX)
A Baba de Mumm-Ra (TO)

Nesta tarde me desloquei até o local do dito evento, reclamei que eles deveriam divulgar mais esses eventos, disse que eles poderiam atualizar o site do Tendêncies de vez enquanto, seria saudável. Para mim, se o Google não consegue encontrar é por que há grandes chances de ser mentirá. Eu inclusive duvidei que o Móveis viria curtir um pouco de poeira aqui novamente, mas a agenda no site deles me fez ir atrás de mais informações.


Well, fica ai a diga!

P.S.: Recomendo o download dos CD’s no site dos Móveis.