sábado, 24 de janeiro de 2009

Minha Idéia de Diversão, de Will Self

null
Uma estória no mínimo insólita. Durante muitas paginas nos vemos presos na mente eidética de Ian Wharton, sem poder diferenciar com certeza o que é delírio do que é real. Este livro é contra indicado para quem tenha estomago fraco, ou pretenda conservar a inocência de sua mente.
Sem dúvida foi um dos livros mais originais que li, no entanto, os adjetivos demoníaco, engenhoso e chocante são igualmente ideais para qualificá-lo. Seria impossível para mim descrever do que se trata o livro, ou eu passaria uma idéia totalmente exagerada das situações absurdas descritas no livro, ou deixaria muito a desejar apenas dissertando sobre a vida de Ian Wharton.
Mas como não irei resistir mesmo, logo nas primeiras páginas Will Self dá uma idéia do que seria, talvez a sua, idéia de diversão, divagando um pouco em sua mente ele chega a conclusão que sua idéia de diversão seria praticar sexo com o buraco sanguinolento, do pescoço decepado de um mendigo.
O livro é recheado de citações e referências, muitas mesmo, o que torna a leitura mais rica, se você conseguir compreende-las é claro, vou confessar, não consegui compreender a metade, sem as notas do tradutor fica difícil compreender algumas coisas, principalmente quando tem a ver com a cultura local, e como Ian Wharton é um publicitário, há muitas referências a produtos que eu nunca ouvi falar.
Embora não seja um livro indicado a todos, a leitura vale a pena, mas mantenha uma caixa de Gardenal a postos para qualquer manifestação da influência de O Controlador Gordo, é importante manter o artigo o em caixa alta, mesmo que apenas em pensamento.

Um comentário:

  1. Começei a ler essa semana, realmente esta me prendendo muito, a "pira" q o autor tira é muito foda, criatividade sem limite kkkkk.

    ResponderExcluir