sábado, 24 de janeiro de 2009

Entrevista com o Vampiro, de Anne Rice



Impressionante como os vampiros mais interessantes da ficção parecem ter o seu lado homossexual mais visível do que o normal, pode ser que a imortalidade seja tão monótona que eles tenham de experimentar coisas novas de vez em quando.
O livro começa com Louis Point du Lac, um vampiro que teria hoje nada mais do que 242 anos, contando sua história a um jovem repórter. Louis conta como aconteceu sua transformação, como se deixou seduzir-se por Lestat e pela vida noturna, fala de seu repudio por certos hábitos vampirescos, tudo isso sem nem ao menos sair de Nova Orleans. Através das paginas do livro Louis ainda vaga por determinadas cidades da França do inicio do século XIX, em busca dos segredos que a imortalidade de outros vampiros podem guardar.
Anne Rice rege com maestria esse mundo de angustias, onde vampiros imortais vagam em sua solidão, à procura de motivos que justifiquem suas imortalidades.
O livro nos apresenta varios personagens fascinantes, Lestat e Louis são apenas alguns deles. Outra que marca bastante a história é Claúdia, uma menina vampira, foi transformada quando tinha pouco mais de cinco anos. Enquanto Louis fica tentando manter, ou encontrar, o seu lado humano, mesmo após a imortalidade, Claúdia nem chega a ter o seu aspecto humano, pois não viveu tempo suficiente para isso, e sua natureza vampírica é a única que ela conhece.
Recomendo este livro sem medo, não só aqueles que se interresem por literratura gótica, ou pela magia que envolve o universo dos vampiros, mas tambêm esta a fim de uma boa sugestão de leitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário